Quem sou eu

São Paulo, SP, Brazil
A Cia. Encena vem desenvolvendo desde sua fundação em 1997, um trabalho que visa estudar e analisar o Homem dentro de um contexto social e político em diferentes fases da história. Buscamos um teatro onde o espectador se divirta; se emocione; reflita; identifique o meio em que vive ou viveram seus antepassados; compreenda a si e a seus semelhantes e tenha por fim, a esperança e a crença de que ele pode e deve melhorar o mundo. Contato: encenaproducoesartistica@gmail.com e https://www.facebook.com/encena.ciadeteatro Endereço: Rua Sgto Estanislau Cústodio, 130 Jd Jussara Vila Sonia Telefones: 2867-4746 (fixo) e 98336-0546 (Tim)

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Boas Festas à todos!!!!

Gostaria de em nome da Encena, agradecer a todos que caminharam conosco esse ano.
Pessoas que de alguma forma nos ajudaram nessa luta árdua, inglória, mas sempre prazeirosa.
Muito obrigado e até o ano que vem!
Que todos os nossos sonhos possam se concretizar.
Boas festas à todos!!!
Um ótimo 2011!!

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

A última do ano!

E lutando contra a chuva, lá fomos nós rumo à última leitura do ano.


E O canto dos canários cegos, aconteceu mesmo sob uma torrencial tempestade que inundou a cidade. Quase que a água leva o elenco!
Mas tudo correu muito bem!
E com a presença do autor!
No elenco: Orias Elias e Debora Muniz como Charles Darwin e Ema Darwin, Jacintho Camarotto como Robert FitzRoy e Thomas Bell, Walter Lins como orador, promotor e Alfred Russel Wallace e Lídia Sant´Anna chamada de última hora pra substituir a Zu.
Dando um suporte como sempre tivemos Thania Rocha e Flavia D´Álima.
O autor Murilo Cesar Dias nos contou depois da leitura de como teve a idéia de escrever o texto. Quando  ouviu o padre falar sobre o cientista e sua teoria, foi pesquisar e nesse contato se encantou pelo lado humano do cientista. Tempos depois escreveu a peça sob encomenda. Mas ainda não conseguiu montar o texto no Brasil.

Em 2011 será!
 
 
E no ano que vem tem mais leituras!!!!
Apareçam...

sábado, 11 de dezembro de 2010

Última Leitura do Ano

E antes que 2010 dê adeus a nós todos, teremos a 3ª e última leitura dramática no E.C.E.

Clique na imagem para ampliar
Não perca!

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Encena sai de casa

Hoje tem JINGOBEL na mostra de teatro do Grupo Clariô em Taboão da Serra.
Quem puder aparece por lá.


E segue imagens da Leitura Dramática de O cativeiro de Ivan Camargo.


Daqui a pouco tem a última leitura do ano!

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Jingobel e o final da temporada 2010!

E estamos chegando a mais um final de temporada. A 4ª produção da Encena esse ano encerra sua temporada nessa sexta-feira.
Se você aind não viu, corre que ainda dá tempo.
Abaixo segue um texto do David da Silva, publicado no blog dele http://barelanchestaboao.blogspot.com/.
Acessem o blog, porque tem fotos e tudo mais.


A alma brasileira na pele de três musas do teatro independente

Solidão urbana, violência doméstica e homossexualismo feminino temperam a “farofa natalina” da peça

Jingobel, em final de temporada no Teatro Encena.
A atriz Flávia D’Álima escreveu no seu blog que um dos “cheiros de Natal” que ela mais gosta “talvez [seja] o da farofa, ai que delícia!”. Farofa é uma boa metáfora para sintetizar a variedade de ingredientes utilizados pelo autor teatral baiano Cláudio Simões na comédia dramática Jingobel, em cartaz no Espaço de Cultura Encena por mais duas 6ªas-feiras (essa e a próxima). Flávia divide o palco com as interpretações viscerais de Lidia Sant’Anna e Thânia Rocha.
As atrizes estavam há tempos à procura de um texto só com papéis femininos. Jingobel foi garimpada na internet por Wagner Pereira, que opera luz e som para o tresloucado trio. A montagem da peça no ano passado meio que imitou o clima atormentado em que “vivem” as personagens. “Aconteceu de tudo. Tivemos momentos de alegria, de desespero, de dúvidas. Tivemos desistências, gente que de alguma forma tentou nos atrapalhar (até isso foi positivo; nos fortaleceu) e pessoas que foram chegando só pra somar”, conta Flávia, que também assina a produção do espetáculo.
Criminosamente perdi toda a temporada anterior desta peça que estreou em 14 de novembro de 2009 no mesmo Teatro Encena – a reestréia foi em 9 de setembro último.
Neste ano paguei a dívida assistindo-a por duas vezes, e está difícil me conter para não ir mais uma.

Corneada, armada e perigosa
Escrita em apenas 15 dias (18 de janeiro a 1º de fevereiro de 1998) Jingobel preenche um a-e-i-o-u de atribulações das três mulheres encarnadas em Teresa, Elisa, Rosa e Vanusa. Calma aí que eu não errei nas contas – Rosa é personagem invisível (só seus gemidos “entram” em cena).
Estou pensando seriamente em processar o diretor da peça Walter Lins, por ele ter-me “roubado” a chance de escrever que Flávia D’Álima “transpira beleza e sensualidade em cena, mesmo com um pacote de fralda geriátrica usada nas mãos!” – escreveu Lins no texto de exaltação à reestréia. Só me resta dizer que Flávia faz uma interpretação avassaladora da suburbana Elisa crucificada à solidão, corneada pelo amante e emputecida porque a TV Globo trocou o “especial de Natal do Roberto Carlos pelo bicha do Michael Jackson”. Bote um “trezoitão” na mão duma doida dessa, e a desgraça tá feita...

Mulheres em combustão
Quando as angústias de Elisa se fundem com as de Vanusa e Teresa (Lidia Sant’Anna e Thânia Rocha, respectivamente) o resultado é o mesmo de misturar glicerina com ácido sulfúrico e ácido nítrico – nitroglicerina pura!
A primeira vez que vi a atriz Lidia Sant’Anna, em 1997, ela estava se contorcendo nas dores do parto em pleno chão do teatro Cemur – sua personagem “dava à luz” em A Inutilidade dos Decretos Inúteis. A “Vanusa” de Lidia é responsável pelo momento mais comovente (é comédia dramática, lembra?) da peça. Com uma carioquice enfeitiçante na fala, Vanusa exala por todos os poros a dor do seu suplício cotidiano pelo preconceito contra a obesidade e o lesbianismo. Nem a “crente” resiste!
Entre a fé e o fogo no rabo.
Eu me criei em igreja pentecostal, e digo com conhecimento de causa que Thânia Rocha está absolutamente perfeita no papel da evangélica radical que, tentando libertar almas, é seqüestrada e se enreda nas tramas da luxúria. Thânia seria tranquilamente saudada com um “A Paz do Senhor!” se saísse à rua caracterizada como a Teresa de Jingobel.
Assim como Jacó trabalhou sete anos e mais sete para ter seu prêmio na forma de um corpo de Raquel, muitos “irmãos” dariam sete dízimos e mais sete para encontrar o paraíso na carne da fervorosa Teresa. O tom de voz de Teresa, o olhar fanatizado de Teresa derreteriam as muralhas de Jericó...
Mas Vanusa foi mais ligeira, e reavivou a seu favor a labareda que a “crente” escondia debaixo da saia.
Seja ligeiro (a) você também. Reserve seu lugar, porque a platéia é intimista (50 lugares).

JINGOBEL, de Claudio Simões. Direção: Walter Lins. Com: Flávia D’Álima, Lidia Sant’Anna e Thânia Rocha.
Figurino: Walter Lins. Cenário: Orias Elias. Cenotécnico: Jorge Jacques. Som: Jacintho Camarotto. Produção: Flávia D’Álima - Cia de Teatro Encena.

Espaço de Cultura ENCENA – Última apresentação 6ª-feira próxima - 26 de novembro
Às 20h30
Ingresso promocional R$ 7,00
Espetáculo recomendado a partir de 14 anos
Rua Sargento Estanislau Custódio, 130 – Jd. Jussara
Contato/Reservas/Informações: 8336-0546 com Flávia D’Álima

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Últimas apresentações!!!!

Não perca a comédia de Claudio Simões. Estamos chegando ao fim de mais um ano de sucesso!!

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Mais atualizações no site

Olha mais novidades no nosso site!
A página de JINGOBEL está quase pronta.
Acessem e confiram.

http://www.encena.art.br/

Quem não viu, ainda pode correr pro E.C.E.

Toda Sexta as 20h30
no Espaço de Cultura Encena

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Atualização do Site

A página do espetáculo A peça é Comédia? de Giba Gilberto Amendola já está no ar em nosso site.
Acesse e saiba mais informações sobre mais essa produção da Encena.

http://www.encena.art.br/



Visite!!

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Primeira Leitura Dramática

Vejam imagens da primeira leitura dramática desse ciclo de 3 peças que ocorrerão no E.C.E. (Espaço de Cultura Encena)
Após a leitura fizemos uma roda pra discutir o texto, a dramaturgia e as várias formas de se fazer uma leitura dramática.
Não percam as próximas!!

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Primeira leitura aberta no ECE

Hoje teremos a 1ª Leitura aberta no Espaço de Cultura Encena a partir das 20h30.
Aguardamos todos lá.

Participarão dessa leitura
Os atores
Joselito Gaza

Atuou nos espetáculos: Soltando o Verbo de Luis Albeto de Abreu (2009/2010), Encenação da Paixão, morte e ressurreição de Jesus Cristo em Taboão da Serra (de 2007 a 2008), Vidas Secas de Graciliano Ramos (2005), O Anel de Magalão de Luiz Alberto de Abreu (2003/2004) entre outros.
Teve seu trabalho premiado no Mapa Cultural Paulista em 2003, 2004 e 2001 com os espetáculos O anel de Magalão e Soltando o Verbo entre outros.

Clayton Novais

Atuou nos espetáculos: A Construção de Vicente Lenero (2008/2009), Como nasce um Cabra da Peste de Almir Pimentel (desde 2004), Encenação da Paixão, morte e ressurreição de Jesus Cristo em Taboão da Serra (de 2001 a 2008) e Infinito delírio chamado desejo de Reginaldo Nascimento da Silva (1999). Também foi premiado como melhor ator coadjuvante no II Festival de Teatro de Campo Limpo (2007) com o espetáculo Como nasce um Cabra da Peste.

Flávia D´Álima

É integrante da Cia. de Teatro Encena desde 2001.
Está em Jingobel de Claudio Simões (2009/2010), participou de Sex Shop Café de Gilberto Amendola (2004 e 2008), O Mercador de Veneza de William Shakespeare (2003 e 2005) Espeto de coração de Gilberto Amendola (2002) entre outros.
Na direção
Thânia Rocha

Está atuando em Jingobel de Claudio Simões (2001/2010), participou de A Construção de Vicente Lenero (2008/2009), Encenação da Paixão, morte e ressurreição de Jesus Cristo em Taboão da Serra (de 1994 a 2004) entre outros.
Dirigiu o espetáculo Morte e ressurreição de Jesus Cristo em Taboão da Serra (de 2004 2008).


E sexta feira tem JINGOBEL a partir das 20h30

Jingobel no Sarau do Binho

Cenas do espetáculo apresentado no Sarau do Binho (http://www.saraudobinho.blogspot.com/)
JINGOBEL de Claúdio Simões
Toda sexta no E.C.E. (Espaço de Cultura Encena) as 20h30

Flávia D´Álima e Lídia Sant´Anna

domingo, 10 de outubro de 2010

Comemoração no ECE

Hoje temos festa a partir das 20H30 no Espaço de Cultura Encena.
Vamos reunir os amigos e festejar um dos aniversários de uma grande amiga.
Hoje tem a FESTA DA LURDINHA!!!
Vamos comemorar, povo!



Estamos esperando todos nessa grande comemoração!!

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

E o natal já chegou!!

Hoje tem "JINGOBEL" as 20:30h no ECE (Espaço de Cultura Encena).
Junte sua turma e venha nos prestigiar!
Venha testemunhar o que uma mulher rejeitada e solitária é capaz de fazer pra não ficar sozinha na noite de Natal!


Não Percam!!!

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Atrações

Jingobel
Flávia D´Álima e Thania Rocha - Mulheres descontroladas na noite de natal!

Essa semana quarta, quinta e sexta excepcionalmente!

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

A peça é Comédia? Fim de temporada

E mais uma produção compriu sua temporada!
Nessa etapa conseguimos angariar um público novo, desconhecido e foi muito bom pra história do grupo que está quase debutando.
Pablo, Ricardo, Tony, Claudio, Orias, Giba, Wagner Muito obrigado a todos!
E até a próxima!!!


Continuamos as quartas e quintas as 20h30 em Setembro com JINGOBEL, uma comédia onde uma mulher absolutamente alterada e sozinha aprisiona outras duas igualmente problemáticas!
Tudo de forma divertida!

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Jingobel a partir de hoje na Encena

E mais uma vez a cortina se abre.


Hoje re-estréia Jingobel de Claudio Simões com as operárias da Encena: Flavia D´Álima, Lídia Sant´Anna e Thania Rocha.
Depois de mais uma bateria de ensaios para a devida repaginação as portas se abrem mais uma vez.
Dessa vez a direção ficou a cargo de Walter Lins.
Em Setembro sempre as quartas e quintas as 20h30.
No ece - Espaço Cultural Encena, Rua Sagto Estanislau Custódio, 130

Três mulheres solitárias, uma noite de natal, um revolver e muita confusão. Uma história de violência, amor, solidão e amizade!!

Cenas dos ensaios do espetáculo

domingo, 29 de agosto de 2010

E que venha o Natal!

As primeiras notícias de JINGOBEL 2010

WWW.OSMUNICIPIOS.COM.BR



"29/08/2010
Apresentação da Cia


Cia. foi criada há 13 anos, pelos mesmos membros que hoje a compõem com uma produção continuada, somando-se 14 montagens. Em 2002, o grupo conseguiu viabilizar uma sede própria, num galpão situado à Rua Sargento Estanislau Custódio No. 130, região do Butantã - SP, onde desenvolve seus projetos com segurança e propriedade. Em 2006, após reformas esse espaço passou a ser também um pólo cultural, razoavelmente equipado e foi aberto ao público tornando-se possível a apresentação de todos os últimos trabalhos da Cia. à população do entorno, além de ser um espaço aberto para receber grupos da região ou mesmo de outras localidades, através do projeto “De portas abertas”.



 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Jingobel - Comédia de Claudio Simões Sinópse do espetáculo: Dois sequestros. As sequestradas: uma homossexual carente e uma evangélica fanática; O cativeiro: Um apartamento com uma velha inválida; A sequestradora: Uma mulher desesperada, descontrolada e solitária; O resgate: A presença na noite de Natal, com direito a peru tiros e vinho. Eis o que Jingobel apresenta mulheres maduras, carentes e desesperadas em busca de companhia em plena noite de natal. Reestréia dia 09 de Setembro de 2010 Em cartaz em Setembro as quartas e quintas, 20h30 Em Outubro e Novembro as sextas, 20h30 Ingresso promocional R$ 7,00 Espetáculo recomendado a partir de 14 anos. Espaço Cultural Encena Rua Sargento Estanislau Custódio, 130, Jd. Jussara, CEP: 05534-030 Contato/Reservas/Informações: 8336-0546 com Flávia D’Álima www.encena.art.br "
 
Vamos lá galera!!

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Encena em Cena!


Continuamos em cartaz no Teatro Augusta com a peça do nosso querido Giba Amendola:
 A peça é Comédia?
Rua Augusta, 943
Sexta as 21h30
Sabado as 21h
Domingo as 19h



E a partir do dia 09 de Setembro no Espaço de Cultura Encena de Claudio Simões:
 Jingobel
Rua Sgto Estanislau Custódio, 130
Quartas e quintas as 20h30

Esperamos todos "lás"

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Você já viu?

E lá estamos nós no Teatro Augusta com A peça é comédia? de Gilberto Giba Amendola.
Ficamos até setembro.
Vá nos assistir!



Rua Augusta, 943
Sex 21h30
Sab 21h
Dom 19h

sexta-feira, 30 de julho de 2010

E HOJE tem estréia no teatro Augusta

Lá vamos nós outra vez!!!
Pela 14º a Encena abre o pano.
O negócio é PERSEVERAR, sempre!!

A peça é comédia? de Gilberto Amendola

leiam a materia do JT de hoje.
blogs.estadao.com.br/jt-variedades/estreia-hoje-a-peca-e-comedia/


por Adriana Del Ré
Nas bilheterias de teatro, a indagação é recorrente quando os espectadores desconhecem o tema de um espetáculo em cartaz. “A peça é comédia?”, ouvem, invariavelmente, os bilheteiros. Apropriando-se, no título e na essência do texto, do bordão que corre nas coxias, ‘A Peça é Comédia?’, do autor Gilberto Amendola – repórter de cultura do JT – e com direção de Orias Elias, estreia hoje, na sala Experimental do Teatro Augusta.
Num exercício de metalinguagem, a peça gira em torno de três atores e amigos – vividos por Elias, Walter Lins e Cláudio Bovo, da Cia. de Teatro Encena – às voltas com a montagem de um texto dramático. No entanto, o que era para ser um momento de concentração na construção de personagens complexos descamba para uma sessão de terapia em grupo.
“No primeiro ato, esses atores se reúnem para a leitura inicial do texto. Vão encenar uma peça cabeça”, descreve Amendola. Ambientado na Idade Média, o espetáculo tem como personagem central um rei que é vítima da peste negra e quer enganar a morte. Para tanto, ele acredita que precisa contaminar um guerreiro, para vencer a morte pela força, e um poeta, para convencê-la pela palavra. “Acontece de tudo, menos o ensaio”, diz o autor. É que os atores não têm disciplina e trazem problemas de casa para o palco. Um tem um teste, outro, um telegrama animado para fazer naquele dia. “Existe uma forte influência da vida pessoal”. Tudo em meio a diálogos carregados de ironias, traço marcante dos textos de Amendola, no teatro, na literatura e no jornalismo.
Depois do malfadado ensaio, o segundo ato convida a plateia a assistir à estreia do espetáculo. Estariam os atores, finalmente, prontos para encarnar seus personagens históricos, deixando de lado as próprias aflições, ao menos durante o tempo em que estiverem sob as luzes da ribalta? Pelo desandar da carruagem, percebe-se que não. “Tudo dá errado: explode o refletor, o ator esquece o texto”.
Se isso já não fosse suficiente, dois atores decidem resolver suas diferenças no palco. E o que era para ser uma batalha cênica se transforma em briga real. O motivo só é revelado em cena. No fim das contas, o drama acaba virando uma comédia involuntária.
Depois do banzé, o trio se encontra no camarim, no terceiro ato, reproduzindo o clima que paira nos bastidores em dia de estreia. Da angústia à espera da opinião da crítica especializada. De tensão para que a sobrevida da temporada seja a mais longa possível. E, no caso deles, das recaídas de mea-culpa. “Espero que concentrem toda a raiva no vinho. Foi o maior desastre do teatro brasileiro”, chega a desabafar o personagem Pablo Garcia.
Para Gilberto Amendola, autor ainda de ‘Asdrúbal C – O Viajandão’, ‘Antibióticos’, ‘Espeto de Coração’, ‘Sex Shop Café’ e ‘Nos Anos 80′ (estas quatro últimas, já em parceria com a trupe da Cia. Encena), a proposta é também retratar um pouco dessa atmosfera do que acontece por trás das cortinas. Do teatro feito na raça. “Para quem trabalha com isso, teatro é quase uma religião. A grana é pouca, mas tudo é feito com paixão”, observa ele. “Dentro de um grupo, cria-se uma grande intimidade. E esse é o micro universo desses três atores”.

Prestigiem mais esse espetáculo
Teatro Agusta
Rua Augusta, 943
Sex 21:30h
Sabado 21h
Domingo 19

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Gilberto outra vez!!!


Agora falta pouco, bem pouco!
Daqui a uma semana abrem-se as cortinas de um novo espetáculo da companhia.
Mais um  texto de Gilberto Amendola escrito especialmente para o grupo.
É sempre um prazer dizer os texto do Giba.
Dia 30/07 no teatro Augusta: A peça é Comédia?

quarta-feira, 30 de junho de 2010

A peça é Comédia?

A partir de 30 de Julho




O que acontece antes e depois de um espetáculo? Como são os ensaios e leituras dramáticas? E quando o pano cai? O que os atores conversam no camarim? Quer mais? O que acontece quando o imponderável decide "derrubar" uma peça de teatro? Como seria uma noite de estréia em que tudo (mas tudo mesmo) dá errado e se transforma em um gigantesco desastre?
Quinta peça de Gilberto Amendola montada pela Companhia.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Os ossos do Barão, o fim?




E mais um ciclo se fechou!
Voltamos esse final de semana de nossa última viagem com o espetácculo Os ossos do barão.
Primeiro foram os ensaios abertos feitos em nossa sede, depois tivemos a temporada no Ruth Escobar e depois essa nossa pequena turnê.
Finalizamos em Assis cidade da regiaõ onde o idealizador disso tudo, Orias Elias, nasceu.
E como tudo em nossa vida, aprendemos muito. Foi uma experiência enriquecedora.
Conhecemos cidades novas, salas de espetáculos diversos, estruturas precarias, outras nem tanto.
E principalmente aprendemos um montão de lições sobre a dificil arte de conviver em grupo.
Um grupo de 14 pessoas presas horas dentro de um ônibus. Dava um programa de Tv. Não sei se interessaria a muitos, mas seria no minimo intrigante.
Juntaram-se a nós nessa terceira fase 3 pessoas maravilhosas: Ada e Gabriel cuidaram da divulgação nas cidades onde iríamos nos apresentar e Sabina di Colluccy substituiu a Debora.
Foram momentos bons, outros nem tanto. Nos divertimos, nos irritamos, mas acima de tudo formos felizes.
E é isso que importa: ser feliz, sempre!!